Buscar
  • Vila Recicla

Ame o processo

Por: Bruno Bosi


No dia 13 de julho de 2020 iniciamos as operações na Unidade de Reciclagem de Resíduos da Construção e Demolição (RCD) em Nova Carapina, na Serra-ES. O mais novo empreendimento da Marca Ambiental ,em parceria com a Vila Recicla, demorou cerca de um ano para ser concluído e nasce da necessidade de atender a crescente demanda do setor de gerenciamento de resíduos .


O processo de reciclagem é bem similar ao de fragmentação de minérios, que tem em suas etapas a redução de tamanho e/ou separação por dimensão de minerais granulados, através da britagem e peneiramento, transformando os minerais em agregados para construção civil. No caso dos RCD’s, é acrescentada, antes dessas etapas, a triagem dos resíduos, feita para eliminar qualquer tipo de material que possa impossibilitar a britagem, tais como, madeira, plástico, papel e metal. O produto final desse processo é o agregado reciclado, usado na construção civil para fins não estruturais.


Etapas do processo de reciclagem de RCD, unidade Nova Carapina - Serra.


No Brasil, existem cerca de 350 usinas de RCD de diferentes tipos de operação, onde se encontram plantas com diversificadas características: fixas e móveis; modernas e simples; com investimentos exagerados em equipamentos, que não funcionam pelo alto custo operacional; outras que foram atraídas pelo baixo custo de investimento, porém, encontraram fornecedores problemáticos na entrega de equipamentos, que muitas vezes acabam sendo incompatíveis com o que foi ofertado, ou seja, o barato que saiu caro.


Na nova unidade em Nova Carapina - ES, fizemos um bom trabalho para termos uma produção plena e que atenda a demanda de mercado do agregado reciclado preenchendo todas a lacunas vivenciadas na antiga planta situada na CTR Marca Ambiental, em Cariacica. Lá passamos por vários estágios e lutas diárias, um verdadeiro centro de aprendizado para toda a equipe Vila Recicla. Tivemos experiências reais no dia a dia de operação de uma planta fixa, em gestão de pessoas, na venda do agregado reciclado e, principalmente na valorização do processo.


Operação da antiga unidade na CTR Marca Ambiental, em Cariacica.


Eu como ex-atleta profissional, vi que no esporte a prática constante é essencial para se obter êxito, encarei e encaro todos os dias como um treinamento, e o sinônimo disso é preparação. Sempre na preparação/treinamento encontramos obstáculos, que muitas vezes nos mostram caminhos para novas soluções. E a planta de Nova Carapina foi toda feita em cima desses desafios encontrados, como: a frequente quebra de equipamentos, o resíduo inadequado para a planta, a adequação da infraestrutura, os equipamentos não compatíveis, as falhas elétricas, a limpeza do resíduo, o controle de qualidade e estoque do agregado reciclado e a deficiência na comunicação interna. Tudo isso contribui para a baixa produtividade, e por consequência, acaba deixando a operação mais cara, onerando o custo unitário do material. Porém, nossos desafios não acabaram, a batalha para manter uma alta produção continua, mas agora estamos mais maduros e experientes com toda bagagem adquirida ao longo do tempo.


Uma mensagem que deixo para quem quer entrar no ramo de RCD ou já faz parte dele, é que não existe uma operação simples para reciclagem desse material, a atividade é complexa e não se resume apenas em “só apertar um botão”. Ter uma usina de reciclagem sustentável é saber vivenciar o prazer da operação no dia a dia, no treinamento, passar pelos obstáculos surgidos em cada etapa e carregar a seguinte frase no coração e na mente: “A vontade de se preparar deve ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será consequência de uma boa preparação”, (Bernardinho, bicampeão olímpico).


Bruno Bosi

Especialista na operação de usinas de reciclagem

Sócio-proprietário e Diretor Operacional da Vila Recicla

247 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo